terça-feira, 28 de abril de 2015

REDE ESTADUAL: NOTA OFICIAL SOBRE PAGAMENTO DE ABRIL


Segundo nota oficial do governo publicada hoje no site da Seduc, o pagamento dos professores referente ao mês de abril, seguirá o que diz a lei 8030/14, que estabeleceu o acordo do término da greve que aconteceu no ano de 2013. Dessa forma, o pagamento dos professores com aulas extrapoladas ficará no máximo em 220 horas-aulas, sendo 150 dentro de sala, e 70 aulas suplementares. Não está dito na nota, mas comparando essa nota com as postagens anteriores e com o entendimento da lei, entra ai 64 horas de hora-atividade, o que gera um pagamento de 284 horas. Na postagem do governo, publicada no dia 25/04 lia-se: "o limite de 70 horas de aulas suplementares na jornada, que chega a 284 horas por mês, garantindo assim que a remuneração inicial do professor fique em R$ 5.525,54, podendo chegar a até R$ 8.840,10, se acrescidas de vantagens pessoais". 
Todavia, ainda não há contra-cheque disponível, o que faz com que a incerteza quanto ao nosso pagamento prevaleça. Com isso, só temos uma certeza: A GREVE DEVE CONTINUAR. 
VEJA ABAIXO A NOTA:

Folha de abril obedecerá última proposta do governo

O governador Simão Jatene reuniu-se na manhã de hoje, 28, com a equipe que está à frente das negociações com o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Pará (Sintepp), composta pelos titulares das secretarias de Educação e de Administração, e determinou que a folha de pagamento dos professores de abril seja fechada de acordo com a última proposta apresentada pelo governo durante as negociações.


A proposta prevê uma lotação de 220 horas por professor, sendo 150 horas dentro de sala de aula e mais 70 horas suplementares, conforme estabelece a lei 8.030 de 2014 que regulamentou as horas suplementares. Com essa jornada e mais o novo valor do piso, o menor salário pago a um professor em início de carreira será de R$ 5.520,00.

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

O blogger não publicará postagens anônimas de cunho ofensivo a pessoas físicas. E também não adianta querer detonar o SINTEPP.