quarta-feira, 18 de março de 2015

AMANHÃ É O DIA DO NÃO A PROPOSTA INDECENTE DO GOVERNO!

Na postagem que compartilhamos do site do Sintepp Estadual a coordenação informa: "o governo informou que pagará o piso a partir de abril e que até o dia 15 do referido mês, apresentará uma proposta de pagamento parcelado do retroativo.". Todavia, essa informação está diferente no site da Agência Pará, atualizada em 16.03.15, onde consta a fala da secretária de administração, Alice Viana. em sua fala ela diz: "o prazo que pedimos é o dia 15 de abril para apresentarmos os estudos sobre o pagamento do piso já que até lá teremos o termino da enturmação dos alunos, lotação dos professores e o pagamento de aulas suplementares para professores, conforme a real necessidade".
Isso é preocupante por dois motivos. O primeiro dele é jogar para 15 de abril a apresentação de uma proposta de pagamento do piso. Clara tentativa de desmobilização da categoria. Não devemos aceitar essa proposta. O segundo, é o parcelamento de retroativo de aumento do piso. Outra vez!? Para sermos enrolados como fomos em 2011? Também não podemos aceitar. 
Outra questão que também temos que discutir com a base é o desrespeito que a Seduc tem demonstrado com relação ao professor, com essa proposta de conteúdos que está sendo feita de cima para baixo sem nenhuma discussão com o professor. Vamos ter que elaborar questões para um simulado por bimestre para uma empresa que vai ganhara por isso! Quantos milhões? Vamos aceitar isso? Acho que não devemos. Temos que tomar uma decisão unânime e dizer não a essa tentativa de tornar o professor um escravo do processo. Aceitamos fazer discussão e formação nesse ano de 2015, para quem sabe fazer as mudanças para o ano de 2016. É mais racional isso. 
Pedimos a categoria dos trabalhadores em educação do rede estadual de ensino que esteja em peso, amanhã, a partir das 8:30 em frente a 4ª URE. Vamos lutar por nossos direitos.

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

O blogger não publicará postagens anônimas de cunho ofensivo a pessoas físicas. E também não adianta querer detonar o SINTEPP.