quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Obras na Grota Criminosa e de drenagem na Folha 23 seguem em ritmo acelerado


 
As obras de Contenção de Cheias, Macrodrenagem e Urbanização da Bacia do Córrego da Criminosa, seguem em ritmo acelerado. O trabalho, que iniciou em agosto deste ano, é executado pela Prefeitura de Marabá para benefício direto de várias famílias que viviam em situação de vulnerabilidade social na área. O projeto tem investimento de cerca de R$ 49 milhões, em parceria com o Governo Federal.
Além da macrodrenagem da Grota Criminosa, o projeto também prevê drenagem pluvial, coleta de esgoto, implantação da rede de distribuição de água e pavimentação de todas as ruas das Folhas 23 e 26; além da instalação da rede de tratamento de esgoto na Folha 32.
O prefeito João Salame ressalta que é o maior projeto de urbanização da história de Marabá. “Só com esse trabalho serão solucionados de forma definitiva problemas históricos da cidade, como alagamentos, além de trazer junto melhorias sanitárias que impedem a proliferação de doenças”, explica Salame.
Segundo Crimério Pacheco, arquiteto responsável pela obra, desde o mês passado foi iniciado o levantamento das paredes do canal e junto com ele a calha por cima da camada de concreto, colocada ainda em setembro. “Nessa primeira etapa foi cavado um canal com 580m de comprimento, mas a concretagem feita até agora atinge aproximadamente 60m”, disse.
O arquiteto enfatiza ainda que os trabalhos na grota criminosa foram intensificados por causa da chegada do período chuvoso. “A partir de dezembro vamos readequar o cronograma da obra do canal e vamos nos concentrar nos trabalhos de drenagem da Folha 23”, disse, complementando que a pavimentação das Folhas 23 e 26 devem iniciar a partir de março de 2015. Até lá, será concluída a drenagem e feitos os serviços de canalização da água e coleta de esgoto.
A primeira etapa de canalização da grota, que está em execução, corresponde a 50% do projeto de macrodrenagem e urbanização. A ordem de serviço de toda a obra foi dada ainda em dezembro de 2013, mas os serviços preliminares de limpeza só puderam iniciar após a desapropriação da área, finalizada no primeiro semestre deste ano. A construtora responsável por toda a obra tem até junho do ano que vem para concluir os trabalhos. Até lá, devem ser gerados até 150 empregos diretos no setor. (Texto: Alessandra Gonçalves/ Fotos: Ananias Santos)
 
 
 
 

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

O blogger não publicará postagens anônimas de cunho ofensivo a pessoas físicas. E também não adianta querer detonar o SINTEPP.