quinta-feira, 29 de maio de 2014

Oh, e agora, quem poderá nos defender?!

Cuidado, meu povo, a cidade tá violenta! Não queiram ser roubado! Não queiram ter documentos extraviados! Ninguém peça para ser envolvido em qualquer situação que necessite ir a DP Cidade Nova para ser atendido, pois você pode ser preso! 
A morosidade que é o atendimento nos órgãos públicos Brasil a fora todos sabem que é regra não exceção. Mas, somente me reportarei ao excelente atendimento realizado, principalmente, por um certo escrivão com ares de rei lotado naquela DP. O Cidadão não tem do que reclamar de seu trabalho: não precisa cumprir horário fixo, nem precisa se importar muito, ou quase nada, com as pessoas que lá vão. Quando o excelso escrivão chega, lá por volta das oito e trinta, dá uma boa organizada no seu local de trabalho - uma cadeira e uma mesa com computador - faz isso com tanto brio, claro que depois de ter ido numa banca tomar aquele café e bater um papinho com os colegas que chegam - quando termina essa organização é que percebe a imensa fila que aguarda seu brioso atendimento. 

Quem está aguardando, alguns desde às quatro da manhã, sabe respeitar a dedicação do servidor público no exercício de sua função. Ele sabe o que faz, a força da lei está com ele, melhor não questioná-lo. Mesmo aqueles que se sentirem "sacaneados", palavra indigna de ser dirigida a tão excelsa pessoa, tem que se manter resignado em aceitar, caso contrário ele dispara como ninguém o artigo 331 do Código Penal Brasileiro - leia-se na régia lei: "Desacatar funcionário público no exercício da função ou em razão dela: Pena - detenção, de 6 (seis) meses a 2 (dois) anos, ou multa.". Pense bem no que você vai dizer a esse Cidadão - Servidor Público - ou você poderá ficar detido.



Reações:

2 comentários:

  1. Pois bem! Posso perguntar este órgão não tem uma corregedoria?

    ResponderExcluir
  2. Esse artigo não está mais em vigência.

    ResponderExcluir

O blogger não publicará postagens anônimas de cunho ofensivo a pessoas físicas. E também não adianta querer detonar o SINTEPP.