quarta-feira, 2 de abril de 2014

NOTA DE ESCLARECIMENTO SOBRE COMENTÁRIOS CONTRA A 4ª URE

Tenho recebido vários comentários acusatórios referentes a 4ª URE. Comentários esses que após uma rápida leitura tenho postado, embora seja anônimos. Todavia, como os comentários eram constantes e sempre após outro, às vezes, até respondendo um questionamento anônimo ainda não publicado, percebi que as postagens são feitas por uma única pessoa, que com certeza possui algum desafeto naquele órgão. Eu, de minha parte, não tenho nada contra ninguém que trabalhe ali. Pelo contrário, tenho amizade. A professora Alcinara, talvez a mais atacada nos comentários, foi uma pessoa que conheci em sala de aula, trabalhamos juntos no Acy Barros, nunca tive do que falar, pelo contrário, sempre dialogamos. Se em algum momento fiz enfrentamento, momento esse de greve, foi dirigida a instituição e não a pessoas.
Por isso resolvi não postar mais esses comentários, a menos que a pessoa se identifique, pois não vou assumir a culpa pela covardia de alguém que se esconde no anonimato. Exclui todos os comentários nesse sentido, como forma de reparação a quem possa ter se ofendido. Faço isso não como sinal de covardia, mas por uma questão de justiça. 

Reações:

3 comentários:

  1. Parabéns, companheiro!!! Gosto do seu bom senso de justiça. Também compartilho e comungo dessa concepção - Não à injustiça!!!

    ResponderExcluir
  2. Concordo ,temos que apostar em uma educação humanizada e vejo hoje a ure caminhando pra isso,e a pessoa Alcinara hoje é a pessoa mais capacitada e comprometida com a educacão,e o que estiver ao seu alcance para ajudar o servidor é com ela mesma pois não mede esforços.

    ResponderExcluir
  3. Antes eram denúnicias agora é só elogio. Cuidado companheiro, fica até ruim para seu blog. Mudanças tão bruscas e repentinas. Todos sabemos do clima de tempestade. Vc só posta elogios ANONIMOS e as criticas e denuncias ANONIMMAS estão de fora? Pq?

    ResponderExcluir

O blogger não publicará postagens anônimas de cunho ofensivo a pessoas físicas. E também não adianta querer detonar o SINTEPP.