domingo, 23 de março de 2014

Publicado no Diário Oficial da União edital de licitação do Pedral do Lourenção

O encontro entre a presidente Dilma Rousseff e o prefeito João Salame Neto, que aconteceu na tarde desta quinta-feira (20), em Marabá, surtiu efeito imediato. Foi publicado na edição desta sexta-feira (21), no Diário Oficial da União, o Aviso de Licitação RDC ELETRÔNICO No- 108/2014 – UASG 393003, ( link:http://pesquisa.in.gov.br/imprensa/jsp/visualiza/index.jsp?jornal=3&pagina=146&data=21/03/2014), que prevê a contratação de empresa para a elaboração dos projetos básico e executivo, de ações ambientais e de execução das obras de derrocamento do Pedral do Lourenção.
Segundo o edital, a modalidade escolhida para licitar as obras é o RDC Eletrônico, que garante maior celeridade e eficiência nas contratações públicas e estimula a competividade entre as empresas. Os interessados podem encaminhar suas propostas a partir de hoje para o site www.comprasnet.gov.br e a abertura das propostas acontecerá no dia 8 de maio deste ano. O edital poderá ser obtido na Coordenação-Geral de Cadastro e 
Licitações ou por meio dos sítios: www.comprasnet.gov.br ouwww.dnit.gov.br.
O derrocamento do Pedral do Lourenção é considerada obra estratégica para o desenvolvimento de Marabá e toda a região do Meio-Norte, que alcança os estados do Mato Grosso e Tocantins e o sul do Pará. O Pedral, formação rochosa no Rio Tocantins com cerca de 43 km de extensão, no trecho entre Tucuruí e Marabá, impede a navegação contínua da chamada Hidrovia Araguaia-Tocantins. Com o derrocamento, um canal que terá entre 145 e 160 metros de largura por 3 metros de profundidade, garantirá que balsas façam o transporte da produção da região até o porto de Vila do Conde, em Barcarena, norte do Pará, considerado o porto mais próximo para a Europa e Estados Unidos.
O prefeito João Salame comemorou a publicação do edital. “Ontem foi um dia histórico para Marabá. A presidenta Dilma mostrou, mais uma vez, que é grande amiga e aliada de Marabá e da região do Carajás. E hoje, é imensa a alegria em ver, na forma desta publicação (do edital), que esta amizade não é feita apenas de palavras, mas de ações concretas, que apontam para a construção de um novo ciclo de desenvolvimento para nossa cidade e para nossa região”, disse João.
A expectativa do prefeito de Marabá, e de lideranças políticas e empresariais da região é que, com a conclusão da Hidrovia, empresas de grande e médio porte comecem a escolher Marabá como destino para suas instalações, em especial, para suas plantas industriais. A mais aguardada dessas emrpesas é a ALPA, siderúrgica de aços laminados da mineradora Vale, cuja implantação está praticamente paralisada no município. A Vale sempre argumentou que sem hidrovia não poderia ser instalada a siderúrgica. Em seu discurso na solenidade de ontem, Salame pediu à presidente Dilma que, após a conclusão do derrocamento, “pegue no pé” da Vale para instigá-la a dar prosseguimento na implantação da ALPA.

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

O blogger não publicará postagens anônimas de cunho ofensivo a pessoas físicas. E também não adianta querer detonar o SINTEPP.