sábado, 29 de março de 2014

JOÃO, SE OS TRABALHARES FOREM PRA RUA, A CULPA SERÁ TODA TUA!


Companheiros diretores de escolas que participaram da reunião convocada pelo secretário de educação, com a presença do prefeito João Salame, me ligaram ou procuraram o blogger diretamente para expressar profunda indignação com o teor da reunião que aconteceu na tarde da última sexta-feira, dia 28/03.
Como estratégia para que todos os diretores comparecessem, o secretário, Luís Bressan, falseou a pauta da reunião como se fosse tratar de assuntos inerentes a administração das escolas; no entanto a conversa foi bem diferente. Foi tudo no tom da "sugesta". Bressan, perdido como sempre nos assuntos educacionais, vagueou por vários assuntos sem mostrar firmeza em nada do que fala. Sobre a falta de merenda escolar para os mais de 54 mil alunos da rede, o secretário deu aquela velha e desgastada desculpa de que teve problemas com o fornecedor, mas que providências foram tomadas e a situação vai se normalizar. Coisa que já estamos ouvindo há quase ano e meio.
Com o chefe do executivo municipal a conversa ganhou tom de ameaça "Se houver greve, faremos nossa jogada. Haverá processos e demissões", ameaçou o prefeito. Salame tenta convencer a qualquer custo a categoria a ficar contra o Sintepp, alegando ser a greve que marcou o início desse ano uma "jogada política" dos coordenadores sindicais. Porém, a cada tiro que o prefeito dá contra o sindicato, acaba acertando o próprio pé, pois só aumenta a indignação da categoria contra esse prefeito que se elegeu graças ao amplo apoio dos servidores que agora sofrem ameaças vindas do paço municipal.
A coordenação do Sintepp sente-se tranquila em dizer a sua categoria que sempre agimos e sempre agiremos com firmeza na defesa daquilo que essa categoria conquistou. Independente da opinião do prefeito, seja ele quem for, seja em que momento estivermos, o Sintepp lutará em defesa dos trabalhadores em educação nesse município. Não queremos de forma alguma partir para mais uma greve, todavia faremos se preciso for, tendo a certeza do suficiente esclarecimento e consciência dos companheiros para apoiar esse sindicato em mais um embate, caso o senhor João Salame Neto, prefeito de Marabá, não cumpra, a tempo, com o que foi acordado na reunião que suspendeu a greve municipal iniciada no mês de fevereiro.

Reações:

8 comentários:

  1. Caro colega, como leigo do assunto em questão escrevo sobre o que leio, ouço e vejo. Daí chego à conclusão de que fracassamos coletivamente; perdemos mais uma. Provavelmente você fique irritado, diga alguns impropérios, que sou pessimista, etc e tal; mas não sou pessimista, filho da puta sim, pessimista nunca!. Contudo dói me na alma admitir que o Sr: prefeito conseguiu ludibriar-nos e desarticular a mais bem sucedida greve deste município.
    Greve esta que não buscava aumento salarial, o que a mim, deixa claro o nosso retrocesso, nós que antes brigávamos por ele, agora lutamos pra continuar ganhando a mesma miséria sob as mesmas condições desumanas. Acaso não percebem os caros colegas que perdemos o foco da luta!? Que estamos barganhando migalhas com um governo tirano e miserável no mais amplo sentido da palavra; enquanto ele faz pouco caso da gente e comemora sua vitória, pois conseguiu com êxito total desviar nossa atenção.
    Se acaso não estou sendo claro, o que estou dizendo é que ele sabia que a greve era um fato, portanto forjou como medida preventiva essa ameaça de retirada de direitos para que ficássemos brigando por outra cousa e não por aumento salarial. Estratégia essa copiada de outros governos.
    De maneira que pelo que ouço de muitos colegas, concluo que fomos vencidos pelo cansaço, não era pra termos recuado; sinto que não há a menor pré disposição para um novo embate, o que é uma pena. Infelizmente somos uma categoria descategorizada, ainda não fazemos valer o que sabemos. O discurso ainda é só discurso, quem sabe um dia deixe de sê-lo. Quem sabe um dia consigamos colocar o guizo no gato.

    Wilsomar Santos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu caro Wilsomar, cabe esclarecer apenas uma coisa. O aumento salarial do magistério nos municípios que pagam o valor do Piso Salarial Nacional, como é o caso de Marabá, é determinado pelo governo federal, que estipula no final de cada ano, através de portaria interministerial de quanto será esse aumento. Para esse ano de 2014 foi estipulado um índice de aumento na ordem de 8,32%, caba aos sindicatos de base como é o Sintepp garantira que esse mísero aumento chegue ao professor, isso foi feito. Concordamos com esse aumento? Não concordamos e dissemos isso para nossa Confederação de base petista CNTE, que preferiu manter pseudo greve de três dias, em forma de protesto o Sintepp Marabá não aderiu a essa encenação. Nosso plano de carreira é nossa maior conquista no município, pois garante uma progressão salarial independente da vontade do prefeito, é isso que ele não quer engolir.

      Excluir
    2. Concordo, mais uma vez fomos levados no bico, eu mesma fico indignada em repor uma aula q nem no período estava contratada, e fica por isso mesmo, dando aula de graça, qm manda é a SEMED, a PREFEITURA e akbou.

      Excluir
  2. Aurismar,nos informa a respeito do visa-vale.

    ResponderExcluir
  3. Fomos enganados...............o João mentira só fala em reduzir nossas conquistas!!! Agora a merda vai ser pior com o "professor" Pedro Souza na pasta da SEMED. Só um recadinho para ele: Vc é vereador de um pleito só.
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Traíra

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  5. Vixi............estamos assim é? Não podemos contrair! Na comemoração e lembrança da ditadura, vivemos uma hoje muito pior. A ditadura do silêncio, nos matam pelo silêncio, pela submissão, pelo puxa saquismo, pela panelinha. Àqueles que de alguma forma sofreram pela liberdade, devem ter muita vergonha e nojo de nossas autoridades.
    colegas professores que assumiram cargos, não nos envergonhem e parem de perseguir seus companheiros. Acredito que vcs podem gerenciar suas pastas sem nos "caçar". Afinal, vcs não são diretores ou secretários, vcs são professores e, vamos nos encontrar sempre.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, nos matam pela submissão, eu mesma, repondo aula de graça, no período nem estava contratada...

      Excluir

O blogger não publicará postagens anônimas de cunho ofensivo a pessoas físicas. E também não adianta querer detonar o SINTEPP.