segunda-feira, 7 de outubro de 2013

"SE A TUA VOZ FOR IGUAL A IMENSA DOR QUE SENTES, TU MESMO ACORDARIA NÃO SÓ A TUA CASA, MAS A VISINHANÇA INTEIRA"!

SERVIDORES DE APOIO CLAMAM POR SOCORRO

 
O comentário abaixo foi publicado sem identificação porque a servidora teme retaliações!
O comentário evidencia com muita clareza e revolta o que nossos servidores de apoio estão sofrendo nas escolas e até na própria SEMED!


"Sou concursada no cargo de serviços gerais desde 2003, então já tem um tempinho que estou nessa luta , vivenciando, presenciando e engolindo a seco o abuso de poder, o autoritarismo e arrogância de alguns. Pois bem... Isso tem nos afetado bastante, pois nos funcionários de apoio somos o que mais estamos sofrendo com toda essa situação. Nós trabalhadoras da educação (serventes e merendeiras) ganhamos mal e somos submetidas a condições de trabalho “precarizados” que sugam nossa saúde e alguns anos de nossas vidas... Pra completar alguns diretores e coordenadores nos tratam como se fôssemos suas empregadas particulares. Nossas condições de trabalho são de ordem publica; os problemas de saúde, as enfermidades são adquiridas nesse espaço, mas são vividas no nível privado, no silêncio dos órgãos, no anonimato. Os gestores, a sociedade ignora, não escutam nosso sofrimento ou então fingem não escutar. O que tenho notado e o que de verdade vem acontecendo é que as escolas têm aumentado o número de alunos e vem acontecendo no mesma proporção em que se tem reduzido o número de funcionários... “Assim, sem tempo e sem espaço operam nesse sistema precário e degrado merendeiras e serventes, procurando dar conta ou se desdobrando feito loucas pra no final a única recompensa é ser chamada de preguiçosa ou está fazendo corpo mole”. A forma como o trabalho esta acontecendo nas escolas, as condições em que são desenvolvidas as atividades, a precarização, a redução de números de funcionários são determinantes nas doenças que nos acometem serventes e merendeiras da educação. Por isso que aumenta o número de readaptados nessas funções. Estou lotada em uma escola com cinco ou seis salas de aulas, sala da diretoria, a sala dos professores, um pátio enorme, dois banheiros (masculino e feminino) dispensa e cozinha... Pois bem é uma servente e uma merendeira pra uma escola nesse porte. Até hoje não consigo entender ou ter a mesma visão que as autoridades que dizem que esse quadro de funcionários é o suficiente... Gente pelo amor de Deus venha fazer uma visita a nos serventes e merendeiras e por um dia se coloquem em nosso lugar. Quando uma (merendeira ou serviços gerais) falta, o trabalho claro, não pode parar... Dai meu questionamento quem está na limpeza ou na cozinha vai ter que se desdobrar fazer seu trabalho e do outro? É justo é correta essa situação? Então cabe a gestão municipal da condição de trabalho, colocar nas escolas o número de funcionários suficientes e não contar que uma pode quebrar o galho da outra. Aproveitando também quero dizer que na escola que estou lotada esta faltando todo tipo de material de limpeza. Infelizmente não posso me identificar por motivos óbvios (medo de represálias), pois sei que esse desabafo não vai agradar a maioria. Espero que alguém se sensibilize e venha em nosso socorro. Desde já agradeço a compreensão."
6 de outubro de 2013 16:58

Reações:

7 comentários:

  1. Caro Aurismar concordo com a servidora e sabemos que muitos diretores pensam que a escola e sua casa onde eles mandam e desmandam.. E isso não acontece só com os companheiros de serviços gerais e sim com os professores . Mas acredito na competência deste sindicato.. Chegar de ditadura nas escolas na Semed...

    ResponderExcluir
  2. Caro Aurismar, também sou servidor publico da rede municipal, trabalho no apoio como vigia, concordo com tudo que a servidora acima relatou, os servidores do apoio não são reconhecidos pelo seu trabalho, no caso dos vigias trabalhando nas escolas sem segurança nenhuma tendo em vistas que algumas escolas ficam nas periferias da cidade e os marginais ficam de olho nessas escolas e sabendo eles que os vigias não tem estrutura nenhuma para se defender, sendo que quando os marginais invadem as escolas eles vem em bando, o que um único vigia pode fazer? e nos fins de semana que o vigia fica o dia todo, tem que ir almoçar a única solução é deixa a escola sozinha pois a prefeitura não nos dar suporte, e quando dá problema só o vigia que se lasca.

    ResponderExcluir
  3. Aurismas é um absurdo o que acontece na SEMED em relação ao vale transporte dos servidores, quando eles esquecem de por o vale transporte, o servidor tem que tirar do seu bolso, fiquei sem vale transporte esse mês e eles disseram que era assim mesmo, e como fica? eu tenho o direito de receber todo mês, se foi por um equivoco deles eles tem que me ressarcir. a desculpa deles é que não tem como eles pagar vale transporte retroativo. e fica por isso mesmo. isso é um total descaso para com o funcionário.

    ResponderExcluir
  4. Isso estende se aos docentes e discentes,eu vejo Diretores despreparados,todos que assumissem um cargo de direção deveriam passar por um processo de avaliaçao psicológica , muitos pensam que , além de acharem que a escola é sua casa querem também perseguir os trabalhadores.Eu vejo essa situação se repetir ao longo dos anos,e nada é feito.Talvez com essa força do sindicato junto as escolas possa ser que amenise a situação.Outro fator que me deixa indignada são as superlotação das salas de aula sem contar o calor insuportavél,será que não ta na hora de fazermos um movimento em prol dessas reivindicações?......

    ResponderExcluir
  5. Éeee Salame,4 anos passam rápidinho,sei que sua gestão vai ser boa,mas a sua reeleição não vai ser tão fácil assim.Tem coisas que o Maurino inventou e que ainda continua e isso vai servir de munição para oposição,SECRETÁRIO ADJUNTO,SECRETÁRIAS INÚTEIS...!

    ResponderExcluir
  6. A pior parte dessa historia de JOÃO SALAME é ver a quantidade de pessoas que acreditaram em seu governo de mudança para nossa cidade, e hoje o que estamos presenciando é mentiras e enrrolações. Sobre alguns VEREADORES que apoiaram esse governo CADÊ? Cadê aquelas promessas que seria diferente? Que iriam lutar pela CLASSE DA EDUCAÇÃO?

    ResponderExcluir
  7. eu tam bem já fiquei sem meu vale transporte e não tive externo.

    ResponderExcluir

O blogger não publicará postagens anônimas de cunho ofensivo a pessoas físicas. E também não adianta querer detonar o SINTEPP.