segunda-feira, 26 de agosto de 2013

REALOCAÇÃO DOS SERVIDORES DA SEMED


É PRECISO ACABAR COM O CABIDE

FONTE IMAGEM: google imagem


Não é mais preciso falar da situação caótica na qual se encontrava a rede municipal de educação do município de Marabá. Os atores da Semed da desastrosa gestão MAUrino fizeram a festa e quem dançou fomos nós trabalhadores em educação. Dançamos sem nenhum tostão e ainda tivemos que pagar o pato, parcelado. A bem da verdade, ainda estamos pagando. A bagunça foi generalizada, mas é verdade também que a atual gestão da Semed contribuiu muito para isso, quando abriu as portas da secretaria para a Casa Legislativa que fica ao lado.
Agora é preciso organizar a casa, "havia gente demais em algumas escolas, enquanto que em outras faltavam servidores", avalia a professora Marilza Leite, a dama de ferro da Semed, pessoa de confiança do prefeito. A competência e seriedade da professora Marilza para essa função, Diretora do DRH da Semed, é inquestionável. O que os servidores estão questionando é forma como se dá o processo. Em escolas que tem dois ou três servidores na mesma função, que um precisa ser remanejado, o diretor é chamado para decidir. O que dá margem a pessoalidade, ferindo um princípio básico da administração pública, é o que lamenta servidores que tem nos procurado na sede do sindicato.
O SINTEPP solicitou reunião com a professora Marilza para dialogar sobre essa questão. Fomos recebidos por ela na manhã de hoje, segunda-feira, em sua sala. A princípio ela nos relatou a situação de desordem na qual encontrou o departamento, que, para piorar, atualmente está com problema no sistema de informatização e todo trabalho está sendo feito manualmente. Com relação às reclamações dos servidores sobre as transferências que estão acontecendo, ela garante que tudo está sendo feito com o conhecimento do servidor que é chamado a tomar parte da situação e ver dentro das possibilidades oferecidas pela secretaria aquela que melhor lhe cabe. Ela disse ainda que mesmo nos casos dos servidores em estágio probatório que estão lotados fora de sua função de origem, só são remanejados quando outro servidor antigo de concurso na rede precisa ser realocado, como é o casa de ex-diretores, e solicita ficar onde está esse servidor. "O único caso que deixamos ao critério do diretor da escola são os casos de agentes de serviços gerais porque entendemos que nesse caso o diretor é a pessoa que melhor avalia o desempenho do servidor na escola", finalizou Marilza. Nesse ponto discordamos da professora e sugerimos que para esse servidor também sejam estabelecidos critérios objetivos para sua transferência para que não dê margem a perseguições, que a gente sabe que existem. "Todo mundo sabe que há diretores que pensam que o agente de serviços gerais deve ser o seu serviçal, aquele que não concorda com isso é penalizado na hora da escolha", desabafou conosco um servidor que está sendo transferido de uma escola onde é lotado há mais de cinco anos.






Reações:

8 comentários:

  1. gostaria de saber se vai ter paralização na sexta feira?

    ResponderExcluir
  2. Suas críticas ao governo anterior se mantém na tentativa de transferir a responsabilidade das mazelas da atual gestão da SEMED para a gestão anterior. Sejamos justos, foi um desastre não ter havido o pagamento do mês de Dezembro/12, mas, foi este governo (anterior) que você tenta responsabilizar que efetivamente melhorou a qualidade de vida dos servidores da SEMED, inclusive do apoio, que, além de autorizar a inclusão no PCCRPE(no caso, os auxiliares de secretaria), efetivou a GRATIFICAÇÃO DE APOIO no valor de 10%.Desafio você, que também é Conselheiro do FUNDEB, a mostrar no seu blog o quantitativo de servidores da atual gestão da SEMED em relação ao quantitativo da gestão anterior.Essa suposta "desordem" que encontrou a atual Diretora do DRH só demonstra a incompetencia da atual gestão da SEMED!Muitas águas ainda irão rolar!!!!!

    ResponderExcluir
  3. Sim, meu caro anônimo, na postagem digo "é verdade também que a atual gestão da Semed contribuiu muito para isso, quando abriu as portas da secretaria para a Casa Legislativa que fica ao lado", você não viu essa parte? Pois está ai. Com a atual gestão está longe de se conseguir alcançar os avanços no plano de carreira que conseguimos na gestão passada. Isso é fato. Assim como é fato também já denunciado por nós o amontoado de gente que ficou em cada departamento. Não defendo, meu caro, a atual gestão, e isso está longe de acontecer. Todos os projetos discutidos em mesa de negociação até agora, nenhum foi aprovado, se não aqueles de parcelamento dos salários dos servidores. A quem pertence os méritos dos avanços no PCCRPE conseguidos em 2012, ao governo que nada governava e que deixou o município em meio a pior crise financeira de sua história, ou ao sindicato que se manteve firme em sua pauta de luta? Sabe quando Maurino resolveu negociar com a educação? Depois daquela sonora vaia que levou diante do presidente da República. A partir dali, em assembleia que aconteceu no auditório da SMS, ele disse "Vamos passar uma borracha em cima de tudo isso, e vamos começar do zero". A partir daquele momento tudo foi mais fácil. Sejamos justo também, já que é para se fazer justiça, com o professor Antonio Disney, esse anjo de luz, grande articulador que facilitou os trâmites de todas essas mudanças. Agora te digo com toda sobriedade, se tivessémos uma sindicato pelego, preocupado em angarear vantagens para seus coordenadores, nenhum benefício teria chegado ao servidor. A categoria sabe reconhecer isso, tanto é que para eleição do SINTEPP ninguém quis concorrer com a atual coordenação, pelo contrário, fomos procurados por pessoas para nos apoiar independente de participar ou não da chapa. Quer reconhecimento maior do que isso?

    ResponderExcluir
  4. tb concordo q n deve ficar com o diretor da escola a escolha de serviços gerais pois tem muitos desses q acham q serviços gerais tem q sujeitar a tudo esquecendo q mesmo com função diferentes todos são funcionários públicos

    ResponderExcluir
  5. Pelo menos um adjetivos na minha opinião não cabe a Marilza leite competência em termos Rh tem muita gente que confunde a função da qual exerceu por quase duas décadas ou mais com o papel que vem desempenhando hoje na Semed. só pra constar vários desses diretores competentes foram exonerados recentemente e daí?, pra se ter uma ideia se ela entendesse tanto de Gestão de Recursos Humanos especialmente de RH no caso especifico demonstraria de outras formas que não cabe colocar aqui...mas a verdade é que um principio básico ela precisa mesmo aprender não sei se conseguira pois pelo tempo parece que continua com os mesmos modos operantes "mal educada e sem modos pra falar com as pessoas. lamentável...

    ResponderExcluir
  6. Essa história de dizer que "tem diretor", "que todo mundo sabe" é muito cômoda, se é sabido, se todo mundo sabe, então por que não se aponta o diretor ou os diretores que tomam os servidores como seus "serviçais", a isso cabe punição. Se não é o diretor da escola que deve decidir sobre a situação da escola sob sua responsabilidade, quem deve? Aqueles que nunca colocaram o pé na escola?! Não vou generalizar mas normalmente quem se diz perseguido na educação é aquele (a) servidor (a) que não cumpre corretamente seu papel, na educação pública a uma ideia impregnada que servidor público não deve ser exigido, "isso é perseguição".

    ResponderExcluir
  7. Anonimo:Aurismar me explica como ficou a hora atividade.Porque no nucleo infantil que trabalho o professor do laboratório de informatica diz que é 1 hora e 40 minutos,cada turma, ele atende uma turma no periodo da manhã e outra no periodo da tarde.Ficando 1 hora e 40 minutos a hora atividade de cada professor ele tem a carga horaria de 200 horas e trabalha apenas 3 horas e 20 minutos opr dia em vez de 8 horas.

    ResponderExcluir

O blogger não publicará postagens anônimas de cunho ofensivo a pessoas físicas. E também não adianta querer detonar o SINTEPP.