terça-feira, 30 de julho de 2013

USO DA CRASE - REGRAS E EXERCÍCIOS GABARITADO

O QUE É A CRASE? chamamos de crase a junção de duas vogais idênticas, mais especificamente a junção de a + a. Isso acontece em algumas situações especiais, sendo marcada essa ocorrência com o acento grave à. Para se fazer uso desse acento gráfico usado para sinalizar que houve a crase, deve-se considerar três situações: 1º) quando é obrigatório; 2º) quando é facultativo; 3º) quando é proibido. Em todos os casos há uma regra básica: só acontece a crase de a+a diante de palavra feminina.
Vejamos.

OBSERVAÇÃO: o a será preposição quando puder ser substituído por para. Sempre que numa frase pudermos trocar o a por para a, o a sozinho deve vir com crase. Exemplo: Levou um lanche para a colega. / Levou um lanche à colega.

1º) Casos obrigatório em que ocorre a crase:

a) Sempre que houver o encontro da preposição a com o artigo feminino a:
Exemplo: O prefeito chegou à reunião quando tudo estava preparado.
                                  (chegou a + a reunião)
                Foi à Itália sozinho.
                 (foi a + a Itália)
MACETE: para saber se diante de um nome de cidade ou país se usa a crase, cria-se uma frase usando o verbo vir, se ocorrer "Veio da" usa-se a crase; se ocorrer "Veio de" não se usa a crase. Exemplo: Veio da Itália./ Veio da Inglaterra. Portanto: Foi à Itália./ Foi à Inglaterra. Observe que o mesmo não ocorre com Portugal, por exemplo. Veio de Portugal/ Foi a Portugal (sem a crase).

b) Quando houver o encontro da preposição a com os pronomes demonstrativos aquilo, aquele, aquele, aquela, aqueles, aquelas.
Exemplo: Perguntou a senha àquela moça.
                                (perguntou a + aquela)
c) Quando ocorrer uma locução adverbial de tempo ou modo que tenha como núcleo uma palavra feminina: à moda de, às pressas, às vezes, à noite, à tarde, etc.

OBSERVAÇÃO: em alguns casos o uso da crase muda completamente o sentido da frase. Veja: 
                           Veio a tarde. (Ou seja, já não é mais manhã).
                           Veio à tarde. (Ou seja, alguém chegou no período da tarde.)
                           Ela estudava à noite. (alguém estudava no período da noite.)
                           Ela estudava a noite. (alguém fazia um estudo sobre a noite.)
d) Quando ocorrer locução propositiva formadas por palavras femininas: à direita, à esquerda, à frente.
Exemplo: O caminhão dobrou à esquerda da praça.

e)  Quando ocorrer locuções conjuntivas com palavras femininas: à medida que, à proporção que, etc.
Exemplo. À medida que o professor falava, a turma dormia.

f) Quando ocorrer expressões indicando horário, desde que se use a preposição a/as.
 Exemplo: A assembleia fio marcada para às 22 horas. 
                 O treinamento acontecerá das 14 às 17 horas.

2º) Casos facultativos de uso da crase:são os casos em que se pode ou não usar a crase, ficando as duas formas corretas.

a) Quando após o a preposição vier um nome próprio feminino.
Exemplo: O poema não pareceu bonito a Eduarda. / O poema não pareceu bonito à Eduarda.

0BSERVAÇÃO: em alguns casos o uso da crase é imprescindível para se tirar a ambiguidade de uma frase. Veja o exemplo:
_ Não vá, fique aqui! Falou a Eduarda. (foi a Eduarda quem falou)
_ Não vá, fique aqui! Falou à Eduarda. (Alguém disse para a Eduarda)

b) Quando a preposição até vier antes de um substantivo feminino.
Exemplo: Correu até a lagoa./ Correu até à lagoa.

c) quando ocorrer pronome possessivo feminino no singular: tua, sua, minha, etc.
Perguntou à minha mãe./perguntou a minha mãe.

3º) É proibido o uso da crase.

a) Diante da palavra direção quando ele for a emissora da mensagem.
Exemplo: Não haverá expediente amanhã.
                           a direção
b) Nas locuções adverbiais de instrumentos: A carta foi escrita a caneta.
c) Em locuções adverbiais de modo formadas pela repetição de substantivos femininos: cara a cara, corpo a corpo, gota a gota.


ATIVIDADES

01. Veja abaixo qual a única opção na qual não se deve usar a crase.

a) No encontro da preposição a com o artigo a.
b) Nas locuções adverbiais de instrumento.
c) Em locuções adverbiais de tempo e modo.
d) Nas expressões que indicam horário.
e) No encontro da preposição a com os pronomes demonstrativos aquele, aquilo.

02. Identifique abaixo o caso em que a crase foi marcada corretamente.

a) Viajou à Belém a negócio.
b) Viajou a Belém à negócio.
c) Viajou à Bahia a negócio.
d) Viajou a Bahia à negócio.
e) Viajou a tarde à Bahia.

03. Veja em qual das frases abaixo o uso da crase é optativo.

a)  Ontem fomos à praia juntos.
b) Quando você chegou à noite eu estava dormindo.
c) A noite chegou, às pressas, trazendo a escuridão.
d) Deram apenas uma opção à Rosana, a solidão.
e) O veículo virou à direita.

04. Saímos ___ tarde, para irmos ____ compras; mas ___ loja só fica aberta das sete  ____ doze horas.

Marque a opção que completa corretamente lacunas.
a) à, às, a, as
b) a, as, à, às
c) à, às, a, as
d) a, às, à, às
e) à, às, a, às


Reações:

13 comentários:

  1. Muito legal , é um ótimo site explicativo ,, parabéns

    ResponderExcluir
  2. Muito legal , é um ótimo site explicativo ,, parabéns

    ResponderExcluir
  3. Muito legal , é um ótimo site explicativo ,, parabéns

    ResponderExcluir
  4. Muito legal , é um ótimo site explicativo ,, parabéns

    ResponderExcluir
  5. Muito legal , é um ótimo site explicativo ,, parabéns

    ResponderExcluir
  6. Muito legal , é um ótimo site explicativo ,, parabéns

    ResponderExcluir
  7. muito bom me ajudou muito

    ResponderExcluir
  8. Adorei esse site,👍

    ResponderExcluir
  9. Clic no link abaixo do exercício que você vai para o gabarito.

    ResponderExcluir
  10. Clic no link abaixo do exercício que você vai para o gabarito.

    ResponderExcluir
  11. a questão 04 as opções a e c estão idênticas.

    ResponderExcluir
  12. Oi, a questão número 1 na qual informa em que não se pode colocar crase em locucões adverbiais de instrumento, está um pouco equivocada, pois pode-se usar a crase,nesse caso, para evitar ambiguidade.

    ResponderExcluir

O blogger não publicará postagens anônimas de cunho ofensivo a pessoas físicas. E também não adianta querer detonar o SINTEPP.