segunda-feira, 22 de julho de 2013

O PAPA É TOP

A maioria dos leitores de meu blog creio que já sabe qual minha concepção sobre Deus, anjos e demônios. Apesar de ateu convicto, pois a vida não me mostrou outra explicação para sermos o que somos, sou paradoxalmente evangélico. Sim. Aprendi desde cedo o gosto pela leitura da bíblia, o gosto de ouvir um sermão bem elaborado  (não essas gritarias que se ouvem por ai, nem certos engodos alienantes) gosto da palavra sóbria, do bom discurso. Gosto de ouvir boas músicas evangélicas que tenham mensagens de amor, paz, esperança (não essa forrozada, bregaidada estilo Calypso que está empestando o repertório gospel).
Católicos, metodistas, testemunhas de Jeová, adventista, todos são evangélicos cristãos; pois aceitam e seguem a doutrina dos evangelhos. O que diferenciam um dos outros é simplesmente a forma como fazem a interpretação da leitura desses textos. Como um texto possui inúmeras possibilidades de leituras, todas elas com certos gruas de correção, a doutrina cristã se disseminou em várias facetas. 
No entanto, dentro desse mar de ideias e interpretações, na prática é feita uma divisão histórica entre os católicos e não católicos. Nas Islândias, por exemplo, essa divisão chegou a dividir a nação em duas. Os próprios Estados Unidos da América são frutos dessa discórdia. Quer ver você ter briga em sala de aula, aqui no Brasil, é puxar uma discussão sobre a "salvação das almas" nas diferentes concepções. Não sou professor de religião, mas vez em quando gosto de provocar esse debate. Saem faíscas por todos os lados.
Eu mesmo fui educado dentro de uma igreja evangélica que ensinava aversão total ao catolicismo, principalmente.Um padre, para a concepção dessa igreja, é um ser abominável com a qual não devemos nem falar. Lembro-me de  um episódio, lá perdido na infância, em que o padre da cidade fez uma visita à escola na qual eu estudava. A garotada toda ficou empolgada com a visita, cumprimentavam e beijavam a mão do religioso, quando chegou minha vez disfarcei, virei as costas e saí. Quando contei o episódio aos meus pais fui prontamente aprovado. Por outro lado, lembro-me também de uma professora adventista que chamava a atenção dos alunos, e até castigava, se eles não fosse um guardiões dos sábados e declarassem isso em suas redações (nós o fazíamos só por provocações). 
Francisco vem ai, hoje, em seu primeiro compromisso internacional, o Papa. Na concepção de muitos evangélicos - o próprio anticristo. Há quase três séculos da expulsão dos jesuítas dos domínios de Portugal, por Marquês de Pombal, o Jesuíta vem, montado na sua pompa papal, pregando a humildade e o desapego ao luxo. Na vida, a gente aprende que existem muitas "Cavernas" iguais aquelas da alegoria narrada por Platão. Estão camufladas com as ramagens daninhas de ideologias, concepções religiosas, deturpações de pensamentos, etc. E sei que muitos como eu fiz, na minha pueril atitude, virarão as costas para ele. Que venha o Papa, que traga essa áurea misteriosa que o cerca. Que traga mensagem de  Paz e amor, e que aqueles que esqueceram "o seu barco na praia", como canta padre Zezinho, volte e busque para poder "pescar" os que precisam ouvir a mensagem do evangelho trazida pela pontífice de Roma - o papa Francisco.



Reações:

2 comentários:

  1. guilherme leitor diario do blgjulho 23, 2013

    S
    ou evangélico mas tenho uma admiração e carinho pelo chico bento,creio naquilo q nos une não nas concpções q nos separam,ver jovens se unindo para de alguma forma aprender valores me conforta, gosto muito do modo americano de pregar o evangelho valorizando e moldando o caráter,utilizando a biblia para nos transformar em pessoas de melhor convivio não para estorquir, se não leu leia qualquer livro do max lucado tenho certeza q vc vai gostar.

    ResponderExcluir
  2. Obrigado, amigo, pela indicação. Confesso que já ouvi falar muito em Max Lucado, mas nunca li nada dele. Assim que tiver oportunidade lerei, prometo.

    ResponderExcluir

O blogger não publicará postagens anônimas de cunho ofensivo a pessoas físicas. E também não adianta querer detonar o SINTEPP.