domingo, 23 de junho de 2013

O Brasil está mudando (Do blog PSOL Marabá)


Roberto Robaina*

O Brasil está mudando! O levante juvenil — que recebeu adesão de parcelas do povo mais pobre e das 
classesmédias mais conscientes — já tem na história do país um impacto maior do que o Fora Collor. O regime político atual sofreu uma fratura. E estes fatos foram positivos. Seremos fiéis a este acontecimento, para usar um conceito do filosofo francês Alain Badiou.
As tarifas dos transportes foi o estopim. Agora as bandeiras são múltiplas. Todas progressistas. O argumento de que tudo isso abre espaço para um golpe de direita é simplesmente ridículo. Apresentados por setores que querem desativar as mobilizações e proteger o governo do PT, escondem que a linha do governo Dilma e da Rede Globo são a mesma. Eles estão unidos na defesa do regime e tem o objetivo comum de manter o modelo econômico atual.
O PT, que hoje integra o campo político da social democracia ou do social liberalismo está sendo questionado e repudiado precisamente pelo caráter burguês de seus governos. O PSDB é ainda mais repudiado, como se viu na indignação pesada contra o governo estadual de SP.
Neste poderoso e gigantesco movimento de massas sem direção as forças políticas atuam, entre as quais encontrassem grupos fascistas que se aproveitaram do legítimo sentimento das massas contra os partidos para atacar um partido que esteve desde o inicio no movimento, tanto em Porto Alegre quanto em SP: é o caso do PSTU. Como dirigente do PSOL tenho muitas diferenças com o PSTU. Mas estamos juntos na luta e não aceito o ataque a este partido. Eles não tem nada que ver com os partidos burgueses ou partidos burocráticos e traidores.
A hora é de lutar pelas demandas do povo, dos trabalhadores e dos jovens. É hora de estar nas ruas, defendendo sempre que o povo se organize. Defendendo a palavra de ordem dos jovens chilenos que minha amiga Fernanda, vereadora do PSOL me contava ontem: organize sua indignação.
Por fim, é certo que os saques e o vandalismo vão contra o movimento de massas excepcional que está ocorrendo. Além disso, a repressão está atingindo inúmeras mobilizações que nada tem a ver com saques e vandalismo. A desordem é culpa do governo e seu regime — que não resolvem os problemas, que manipulam e que depois de uma semana de levante não adotaram ainda nenhuma medida concreta para melhorar a vida do povo. Já são milhões que falaram muito alto: não é só por 20 centavos. Apesar disso os governantes demoraram muito para atender até mesmo esta reivindicação básica. E atenderem porque temeram que as mobilizações de massas virassem um levante. Ela virou um levante na última quinta-feira, dia que o PT e o PSDB recuaram. Mas aí já era tarde. O povo quer mais. E apesar de Dilma dizer que está ouvindo o povo, concretamente o governo não fez nada para provar que não está apenas mentindo novamente. Sinceramente, esta é minha convicção. Por isso não tem porque o povo sair das ruas. Afinal, ainda não fomos realmente ouvidos.

Roberto Robaina é presidente da Fundação Lauro Campos e dirigente do PSOL.

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

O blogger não publicará postagens anônimas de cunho ofensivo a pessoas físicas. E também não adianta querer detonar o SINTEPP.