sábado, 9 de março de 2013

A AMAT SE PROSTITUIU DIZ PREFEITO DE MARABÁ

MARABÁ SE DESFILIA DA AMAT

JOÃO SALAME: “PREFEITOS TROCAM VOTOS POR MIGALHAS DO ESTADO, AMAT SE PROSTITUIU ”.

João Salame decidiu retirar o município de Marabá da Amat, a Associação dos Municípios do Araguaia Tocantins. A notícia surge após a recente eleição que escolheu o Prefeito de Tucuruí, Sancler Ferreira, como Presidente da instituição. De acordo com o Prefeito de Marabá, “tem gente que acha que eu estou retirando Marabá da Amat pelo fato de ter perdido a eleição para a presidência da entidade no final do mês passado, na realidade não é isso, eu sou um homem democrata, acostumado a vencer e a perder.” Salame explica que o rompimento com a Amat está relacionado com a falta de representatividade das reivindicações políticas da região, principalmente ao que se refere à criação do Estado do Carajás. “O que vem ocorrendo nos últimos anos é que a Amat, do ponto de vista técnico não ajuda em praticamente nada ao município de Marabá e do ponto de vista político, deixou de lutar por essas grandes causas. Minha candidatura foi uma tentativa de fazer com que a Amat voltasse a ter alguma importância, não que eu seja essa pessoa com esse poder todo, mas junto com o grupo de prefeitos a gente pudesse fazer isso.” O Gestor Municipal ainda afirma a interferência direta do Governo do Estado na estrutura da Associação dizendo que “o que se verificou nas últimas eleições foi que além da Amat não ser mais o que era, ela se transformou apenas em um motivo para os prefeitos, na hora de votar a nova direção da entidade, negocie seus votos com o governo do estado (e vote) no candidato que o Governador resolver apoiar para receber algumas migalhas em troca desses votos.” Contando algumas diálogos com outros prefeitos no dia da eleição, Salame afirma que dois gestores chegaram a confessar as pressões pela escolha do candidato que tinha o apoio do governo do Estado. “Dois ou três prefeitos me confessaram lá na hora da votação que iam votar no candidato lá de Tucuruí, o prefeito Sancler Ferreira, pois o Governador tinha prometido para ele meia dúzia de quilômetros de asfalto.”Salame contou ao Zeca News que outro prefeito confirmou para ele que era obrigado a votar no Prefeito Sancler por ter a fazenda invadida e a promessa do Governo Estadual de que uma ação policial iria resolver a situação, caso o candidato indicado ganhasse. “Se eu não votar nele o Governador não manda tirar os invasores da minha fazenda”.O Prefeito João Salame dispara: “Uma entidade dessas se prostituiu completamente, não tem mais a menor condição de representar a luta pelo povo do Carajás, não é por acaso que o Prefeito que foi eleito para Presidente da Amat foi um Prefeito que na época do plebiscito, que a gente lutava pelo nosso sonho, não moveu uma palha em defesa dessa luta, não fez nenhuma reunião sequer lá em Tucuruí. É tanto, que em Tucuruí tivemos 65% apenas de votos favoráveis, enquanto nos outros municípios (da região) tivemos mais de 90%.” Salame reafirmou: “ora, se a entidade tecnicamente já não funciona, se já não luta e ainda coloca um Prefeito que cruza os braços pelo nosso maior sonho, que é a criação do Estado do Carajás, o quê que eu vou estar fazendo em uma entidade dessas, que se ajoelha diante do Governador? (..) a Prefeitura de Marabá paga 18 mil reais por mês para estar filiada à Amat, isso representa em quatro anos de governo, quase 1 milhão de reais, dá para construir uma boa escola, eu não vou ficar gastando dinheiro do povo de Marabá com uma entidade que se vendeu, se rendeu, se ajoelhou, que não tem nenhuma importância do ponto de vista técnico e não tem nenhuma importância do ponto de vista político.”

(Postado por ZM News às 17:45)

Reações:

5 comentários:

  1. Vamos vê até quando essa falácia de Carajás vai render votos para os politicos de "Carajás". Será que vai ser igual os politicos da região nordeste com a história da seca, nunca mais vai ter fim? Se o prefeito de MArabá não acreditava na AMAT porque ele se candidatou e concorreu a presidência? Muito conveniente depois de perder vir com essa desfiliação. Parece-me muito bom pra sua imagem como defensor de "Carajás" essa jogada de marketing. O pior é que ele conseguiu ganhar a eleição com essa promessa, além dos 500 km de asfalto claro.

    ResponderExcluir
  2. Eu ja sabia quie ele ia pedir a bola dele, e tirar seu time de campo, é famopso menino mimado.

    ResponderExcluir
  3. O João 23 está se achando, que não pode ser contrariado! Essa derrota espero que tenha um efeito positivo, pois acredito que o mesmo tem que canalizar o foco, as energias e estratégias para a administração pública do município de Marabá. O João 23 não estar conseguindo botar em execução o que ele dizia ter para Marabá. Do discurso a prática existe uma distância grande, e é aí onde você pode naufragar!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na época do Tião, tbm houve desfiliação e nem por isso o município parou...Essa entidade é boa pra municipios pequenos q ñ conseguem andar com suas proprias pernas, precisam sempre das benesses do governo estadual(kit asfalto) para fazerem suas campanhas eleitorais medíocres em cima dessas esmolas q o Jatene vem dando para tais municipios...Para eles se correr o bicho pega e se ficar o bicho come...então é melhor aceitar...

      Excluir
  4. Durvalina hoje de manhãm ouvi a entrevista do prefeito João Salame, dizeendo quer, a AMAT se protituiu ao aceitar a promessa de tres quilometro de asfalto oferecido pelo governo do estado, e ele que prometeu a população de Maraba os famosos 500 km de asfalto então Maraba vai virar uma:SODOMA E GAMORRA.

    ResponderExcluir

O blogger não publicará postagens anônimas de cunho ofensivo a pessoas físicas. E também não adianta querer detonar o SINTEPP.