segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

FOLHA DE DEZEMBRO/2012 - TEM ALGO FEDENDO AI

SERVIDORA ALDEISE - EXPLICAÇÃO QUE NÃO COLA
Em reunião que aconteceu nesta segunda-feira, das 15 às 18:30 horas, no gabinete do secretário de administração, Ademir Martins entre o Conselho do Fundeb e a equipe da administração, o conselho pontuou ao secretário alguns pontos possíveis de irregularidades encontrados na folha de pagamento de dezembro. "Ainda não é o relatório final são apenas pontos que nos causa estranheza", disse a presidente do Conselho, professora Cristina Arcanjo. 
Entre o que foi discutido estão os seguintes pontos: servidor que tem salário de 6 meses para receber como substituição em vaga, mas que não está lotado em nenhuma escola; servidora que possui indevidamente a receber indenização de licença prêmio, "É estranho isso porque esse tipo de indenização foi extinta em 2008, a servidora foi admitida em 2006, a licença prêmio acontece a cada cinco anos, como ela teria esse direito?", questionou o servidor Antonio, lotado na Semad, e membro do Conselho do Fundeb. Aldeise responsável pela folha de pagamento explicou que nesse caso há um erro que precisa ser consertado. Outro ponto que tem causado bastante confusão na hora da análise da folha é o fato de não bater, em vários casos, o nível do servidor na lotação com o da folha de pagamento. "A folha é elaborada mediante a portaria do servidor, se ele já progrediu, fazemos seu pagamento conforme esse portaria não importa o que esteja na lotação", explicou Audeise.
Outro ponto bastante polêmico e já denunciado pelo coordenador do Sintepp, Wendel Bezerra, na última assembleia realizada dia 15/02, é o caso que envolve dois ex-funcionário do alto escalão do governo Maurino Magalhães, o ex-secretário de educação Ney Calandrinni e Carlos Bertinni. Os dois estão para receber na folha de dezembro, gratificações referentes a participação na comissão de gestão do plano de carreira, inclusive, Ney Calandrinni, tem gratificações retroativas ao período no qual o mesmo estava liberado para concorrer a vereador, na última eleição. Acontece que essa comissão já existia com outros servidores. O  que fica claro um possível esquema para pagamento indevido. "Querem devolver o dinheiro, mas o crime já foi cometido", denunciou Wendel. Aldeise explicou que houve uma confusão na época, pois havia uma portaria vigente, mas apareceram com outra pedindo para substituir, logo depois voltaram atrás e isso aconteceu várias vezes "e acabou ficando a portaria que não devia, foi erro nosso". Será? O caso foi ajeitado por lá mesmo, sem que o secretário soubesse, a servidora responsável pela elaboração da folha parcelou a divida dos dois em 10 vezes. Que jogada! Eles vão receber uma bolada de quase 20 mil reais, parcelado em quatro vezes, e vão pagar em 10 vezes sem juros! E vai ficar por isso mesmo? Vamos esperar para ver no que vai dar tudo isso. 
Com relação ao pagamento de fevereiro junto com o parcelamento de dezembro. A secretaria de administração informou que já foi feito a separação do pessoal que tem a receber até 1.000 reais como salário base, mas que falta fazer o parcelamento dos demais. A ordem do prefeito é que se libere o pagamento tão logo apronte a folha. 

Reações:

16 comentários:

  1. E eles deram uma posicao de quando isso vai acontecer?

    ResponderExcluir
  2. O que não desce é que diante de tantas irreguliridades tantas provas e milhares de indicios:"_ ninguém é denunciado e muito menos indiciado". O MP parece inerte diante de tanta bandalheira.Pior ainda é que quem está pagando essa conta é o servidor que trabalhou , que honestamentamente merecia seus proventos, que indevidamente teve sua vida virada de pernas pro ar.
    Sinceramente também não engulo esse papo de austeridade já que permacem ai todas as secretarias criadas criadas pelo governo anterior e que ainda permanece o tal do secretário adjunto criado para beneficiar o tal do Carlos e ampliado posteriormente (engenharia dessa turma pra meter a mão no dinheiro público).Como é que ousam mexer nos cargos de vice diretor, na gratificação de direção e não extiguem essa teta do adjunto?

    ResponderExcluir
  3. é verdade companheira gorete, tambem fico muito triste com essa bandalehira, e eu que trabalhei na gestão maurino e tambem nao roubei.. quem sabe se eu tivesse feito isso, talvez hoje tambem estaria por ai, só usando e abusando do dinheiro público. mas enfim, tenho minha consciencia limpa. mas fico triste por quererem tirar a gratificação de direção, ou ate mesmo extinguir o cargo de vice diretor.. que pena...... mas boa sorte para esse governo... que seja melhor que governo maurino.... vamos que vamos, pois a hora é essa....

    ResponderExcluir
  4. E ele prometeu mudança de verdade!E essa mudança dificílmente vai acontecer pois tal situação é compartilhada também pelos vereadores e o prefeito quer apoio da maioria da camara...!

    ResponderExcluir
  5. Sônia Sacramentofevereiro 20, 2013

    Prefeito, Vereadores e Secretários tiveram seus ricos salários reajustados absurdamente em 100% na calada da noite no final de 2012, isso ainda não foi revisado, só os demais servidores da educação tem que sofrer revisão, redução e extinçao???

    ResponderExcluir
  6. E porque não parcela as rescisões dos contratados?Será que o gestor tem noção da fortuna que é gasta anualmente com tais rescisões?Pois essa verba era para ser investido em algo de mais necessidade,e se não fosse os gastos com as rescisões a situação do pagamento de dezembro seria outra,que me desculpem os contratados mais a verdade é essa.Enquanto se gasta com rescisões faltam macas e cadeiras de rodas no HMM.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É justamente isso o que vai acontecer.

      Excluir
    2. Caro Anônimo que eu saiba cada Secretaria tem seu repasse, agora, o porquê do não investimento no Setor e em seus funcionários eu não sei, só sei que não é culpa dos contratados... A verdade é essa!

      Excluir
    3. Concordo, PAULO LOBATO!!! Se nao investem em macas e cadeiras, a culpa nao é da nossa rescisão, nada a ver!!! Estou em MARABA há 13 anos e sempre houve falta de macas e cadeiras, nao podemos abrir mão de um direito nosso. Vc abriria mão de um dinheiro q é direito seu, ANÔNIMO??? Entao deixa seu salario para o PAULO LOBATO e p mim, o q acha???

      Excluir
    4. Me desculpe anônimo q fala sobre rescisão de contratado, mas se ponha no lugar dos demais. Oh! são contratados com direitos, não substituições em vaga. Se não precisa de dinheiro, faça doação do seu, ou compre macas e cadeiras de rodas

      Excluir
  7. como estão passelando o salário de Dezembro de 2012, em quatro vez os funcionarios que tem cedula C para recebem vão ficar impedido, porque sempre so tirão o imposto no ultimo pagamento. sera o que vai acontecer. Principalmente com o Pessoal da Educação e os Medicos.

    ResponderExcluir
  8. Nós que falta recebe a recissão tambem trabalhamos igual a vcs que continuão até hojé na prefeitura, nós demos familia p sustenta e conta p pagar,eu não acho que a recisão e gasto p prefeitura o Prefeito esta agindo certo ao fazer o pagamento das recesões, ele está comprindo a LEI TRABALHISTA DO BRASIL, não sou da Educação e nem da Saúde só sei que quero os meus direitos com TRABALHADOR. Muito obrigado por essa oportunidade de falar. queria saber tambem quando o prefeito vai pagar as outra secretarias estou desenpregado e c/ conta p/ pagar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. RESCISÃO É UM DIREITO DO TRABALHADOR, NAO ABRIMOS MÃO!!!

      Excluir
  9. Por falar em lei trabalhista então a constituição federal que é a nossa lei maior teria que ser respeitada quando diz que funcionário público tem que ser atravéz de concurso público.Na policia militar,policia civil,bombeiros,policia federal,policia rodoviária federal entre outros,não tem contratados e dizer que o gasto com as rescisões não gera custo para prefeitura é brincadeira,e seria bom que a prefeitura divulgasse o valor gasto com as rescisões.

    ResponderExcluir
  10. O que me causou estranheza não foram os possíveis erros apontados na matéria, para mim, enquanto servidor público e que já fiz parte da equipe da Folha de Pagamento, e conhecedor das dificuldades para a elaboração de uma Folha de Pagamento, estranha-me o servidor Antônio fazer tal comentário, uma vez que o mesmo já foi Coordenador da FOPAG e teve o desprazer de conhecer como não é nada fácil elaborar um Folha composta de aproximadamente 7 mil servidores e que a maior parte dos lançamentos, bem como a conferência dos lançamentos é 100% manual, e que a equipe daquele departamento, é composta de apenas 4 (quatro) servidores para elaborar todos os trabalhos da FOPAG. Acrescento ainda, que muitas vezes durante os lançamentos, a folha teve que ser refeita para os lançamentos que determinadas secretarias mandavam (e ainda mandam) fora do prazo. Quanto os salários de substituição, esses contratos são de inteira responsabilidade da SEMED, e estes, na grande maioria, sempre chegavam e ainda chegam após o professor substituto ter trabalhando. Apontar “possível esquema para pagamento indevido” é acusação grave e deve ser apurada com provas, pois como afirmei antes, a FOPAG tem um número muito reduzido de funcionários, que sempre se desdobram para que a folha seja fechada e repassada à SEFIN em tempo hábil (ficando além do horário, trabalhando durante fins de semana e até mesmo nos feriados), e além desse número reduzido, o espaço físico onde funciona a FOPAG é apenas um cubículo menor que uma cela. Rodrigo Sousa Barros, Funcionário Público Municipal.

    ResponderExcluir
  11. Karen e Paulo Lobato,não estou dizendo q os contratados tem culpa disso até prq eu tenho parente q tbm é contratada e sei que vcs tem direito de receber suas rescisões,o questionamento q eu faço é o gasto de milhões q é feito com as rescisões anualmente e esse dinheiro serviria p outros fins,não confundem pg de salário com rescisões ok!

    ResponderExcluir

O blogger não publicará postagens anônimas de cunho ofensivo a pessoas físicas. E também não adianta querer detonar o SINTEPP.