terça-feira, 4 de dezembro de 2012

DISCURSO DE JOÃO SALAME CAUSA POLÊMICA

Fonte Imagem:http://edivaldosantos.blogspot.com.br

Discurso proferido pelo prefeito eleito João Salame, no último encontro de prefeitos da região, que foi publicado em jornal de sua propriedade, causa bastante polêmica entre os leitores. O tom enérgico com o qual ele afirma que se não houver duplicação da rodoferrovia haverá "guerra civil" e também que se preciso for ocupar a transamazônica para que venha o tão sonhado asfalto para aquela rodovia federal, isso será feito, agradou a muitos e deixou outros de orelhas em pé. 
Bem ou mal, a nota tem sido lida em voz alta nas salas de professores, em rodas de amigos e é discutida nos bares. "Tá certo, é isso mesmo." dizem uns. "Ele tá é louco." dizem outros. Penso que sim, é isso mesmo. Temos que mostrar o nosso posicionamento com energia. É claro que "guerra civil" foi uma hipérbole utilizada como força de retórica. Nenhum brasileiro em sã consciência desejaria perturbar a plácida paz que reina em nossa civilidade. Vamos brigar sim, fazer manifesto se for preciso. Não podemos mais é aceitar que nossa região de Carajás se torne, ou melhor, continue sendo, para o resto do Brasil, aquilo que nosso país foi para Portugal por mais de três séculos: um lugar de exploração.   
   

Reações:

6 comentários:

  1. É amigo e está causando mesmo, quando o povâo votou no Joâo, é porque queria soluçâo dos problemas, e nâo guerra civil. Aurismar vamos utilizar um vocabulário menos rebuscado e usar o palavriado do povâo.

    ResponderExcluir
  2. O discursso do João salame está se relacionando a falta de investimento na região e tambem a necessidade da união do povo desta região para reinvidicar seus direitos e melhorias que tanto precisamos. Amigos sou de belém mas é sou contra a divisão do estado mas morando em maraba a pouco mais de um ano percebo realmente a necessidade de um melhor carinho do governo estadual pela região principalmente na area da educaçao onde alunos do estado estudam em escolas do municipio em regime de "convênio" por falta de construçao de escolas do estado suficiente para todos.
    Este é um pequeno exemplo entre outros mais, então o que o prefeito está se conclamando é a união de todos pela região nao literalmente uma "guerra civil" a luta é por melhorias atraves de ideias.

    ResponderExcluir
  3. AURISMAR NAO LHE CONHEÇO PESSOALMENTE. Porem de uns tempos para ca lhe adimiro e sempre leio seu BLOG. Precisamos lutar sim, precisamos mostrar nosso valor, porem precisamos tambem paz e existe varios meios de manifestar sem causar luta corporal. AS lutas de grandes homens são lutas atraves de ideias e ideais.

    ResponderExcluir
  4. EITA POVO BURR........
    NAUM SABI NEM LE ENTE LINHA..
    KKKKKKKKKKKK

    ResponderExcluir
  5. Mesmo eleito João nunca perde seu discurso de inconformismo. Sabe que os problemas que atormentam nossa Marabá além de falta de gestão local, demonstrada todos esses anos é também fruto de descaso e da ausência do Estado na região de Carajás. Noto no discurso dele o mesmo tom de rebeldia e impacto como na época dos calorosos debates das campanhas do Carajás e Tapajós. João, não deixe adormecer nosso sonho de ver a região de Carajás emancipada, para que finalmente possamos sair da árvore sem sombra que o "povo da Capital" nos deixa...

    ResponderExcluir

O blogger não publicará postagens anônimas de cunho ofensivo a pessoas físicas. E também não adianta querer detonar o SINTEPP.