segunda-feira, 6 de agosto de 2012

NADA MELHOR DO QUE UM DIA APÓS O OUTRO (TEXTO DO PROFESSOR MICHAEL SOUZA)


                                                   UM  DIALOGO COTIDIANO
  Estava eu saindo de uma reunião de trabalho na velha marabá no dia 02/08/12 quando me deparei com uma manifestação democrática de um candidato a prefeitura de marabá que por uma década aproximadamente foi prefeito desta cidade.
Como bom democrata observei a manifestação e perguntei para um senhor que estava vendendo churrasquinho na esquina para sustentar sua família:
- Senhor o que o senhor acha deste candidato ?
Ele respondeu :
- Vai ser o nosso prefeito nas próxima eleições.
Eu perguntei curiosamente querendo escutar o argumento do trabalhador:
-  Por que, amigo, você acredita nisso ?
Ele respondeu :
- Ele, diferente do prefeito atual, pagava os salários em dia.
E também disse que o candidato era excelente, pois construiu várias praças .
Isto ele me respondeu com uma convicção de que isso era o melhor para cidade, dentro  desse argumento  perguntei para ele:
- No período que ele foi prefeito o vendedor tinha algum parente na prefeitura de Marabá, mas exatamente que trabalhava na secretaria de educação  ?
Ele me respondeu :
_Não.
 Perguntei também o que ele achava da criação do estado de CARAJÁS.
Ele me olhou bastante curioso e disse:
- Amigo, votei SIM queria Marabá como capital do nosso estado.
Então perguntei para ele:
- O que você acha da atuação deste candidato na eleição que poderia ter criado este estado?
Ele me olhou com aquele olhar de quem não sabia responder, pois na hora acredito que deu um “branco” total na memória do cidadão .
 Aproveitei ao chegar onde queria e perguntei pra ele :
- o que você acha de na hora que você mais precisa de um “amigo”ele virar as costas pra você ?
O amigo comerciante respondeu :
- Eu acho uma INGRATIDÃO,  pois na vida todos precisamos um dos outros .
Neste momento chegamos ao ponto crucial do dialogo breve entre pessoas que não se conheciam, lembrei para ele que este candidato que agora se apresentava como amigo da população de Marabá  virou as costas para ela no momento importantíssimo de sua historia tudo isso por apoio político para sua campanha lembrando única e exclusivamente da sua vida política e INTERESSES próprios deixando a vontade de uma quase totalidade da população deste município a 3° e 4° planos .
O amigo comerciante a partir deste momento começou a analisar a situação e respondeu de forma bem calma :
- Você tem razão .
Ai falei em tom de ironia que algumas vezes e peculiar a minha pessoa :
- É simples, meu amigo trabalhador, é só devolver o NÃO  a quem disse NÃO.
E agora amigos leitores ainda está na  memória um sonho latente de dias melhores em uma autonomia democrática  tão esperada para quem está longe das decisões políticas a nível estadual.
O que tirei de lição deste diálogo é que argumentos de obrigação como praças e salário do servidor em dia não pode ser levado como dádiva de um excelente gestor mais sim como obrigação de qualquer gestor mediano na forma de administrar.
  Temos que dar a oportunidade para pessoas que foram dar seus “rostos a tapas” em  uma verdadeira luta de Davi contra Golias” só que nessa o Davi momentaneamente perdeu “
Dessa forma, talvez fique um recado pense nisso: na HORA (plebiscito ) que mais precisei  viram-me as costas, pois agora também por uma marabá pra frente para não voltar ao atraso “quem é da educação sabe muito bem o que estou falando “ vamos devolver o NÃO e pra frente marabá.
E NA MINHA OPINIÃO SALAME (23 ) É A SOLUÇAO
PEDRO SOUZA VEREADOR 23.111
Michael Souza
Professor


  
      
  

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

O blogger não publicará postagens anônimas de cunho ofensivo a pessoas físicas. E também não adianta querer detonar o SINTEPP.